Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mulher, Filha e Mãe

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

A minha vida é uma montanha-russa!

É incrível como o tempo passa, e muitas vezes, "nem dou por isso". 

Hoje é terça-feira, amanhã já é quinta-feira da semana que vem e depois já se passaram três meses desde a última terça-feira e assim por aí adiante. 

As horas voam, os dias correm e as semanas viajam a anos-luz, e desde que sou mãe que o sinto a triplicar!

 

Há momentos em que, parando por segundos e olhando para trás, estar onde estou hoje, ser o que sou e fazer o que faço, ainda me parece mentira. Mas não. Não é! É tudo real.

 

Nesses mesmos segundos em que muitas vezes paro, ou nos poucos minutos do meu dia-a-dia a ouvir aquela música que tanto me aconchega a alma, olho para a minha vida e vejo que se assemelha a uma montanha-russa que não pára. 

As voltas continuam quer eu queira ou não, e muitas vezes só se houver um grande trambolhão, uma descida a pique ou um movimento brusco, é que sou obrigada a parar. Se não, mesmo fazendo uma pequena lesão, continuo às voltas na montanha-russa sem parar. Tudo se modifica a toda a hora, e muitas vezes nem dou conta. Ando em loop e só quando paro de facto, é que consigo alcançar o que desenvolvi ou retrocedi, cresci e criei até ali. 

 

 

Muitas vezes orgulho-me. Ás vezes, nem por isso.

Vejo que alguns quiseram parar de rodar comigo, outros continuam, e há mesmo quem se tenha mantido no mesmo banco que eu, quase desde que a montanha-russa se ergueu.  

Há quem saia por momentos e que volte. 

Há quem só queira estragar-me as voltas e o prazer que elas me dão. 

Há quem me faça ficar muito mal-disposta e há quem me mostre como estar em movimento é ótimo. Significa vida. Significa estar. Significa, simplesmente, viver. 

 

Vou andando para cima e para baixo, por vezes em linha reta, numa escala sem fim. 

Vou ganhando força e perdendo alguns medos.

Vou aprendendo a olhar mais para dentro do que para fora de mim. 

Vou aprendendo a respirar fundo mais vezes e percebendo que cair, tem um lado bastante positivo! 

Vou aprendendo que, apesar de cair, devo tentar sempre voltar a entrar em movimento, seja sentada nesse ou noutro banco. 

Vou consolidando a certeza de que ainda tenho tanto para andar, rodar e tombar e que é aí que reside a essência desta montanha, descobrindo assim o próximo caminho e realizando a introspeção sobre o anterior. 

 

No fundo, aconteça o que acontecer ou haja a disposição que houver, a vida não pára.

 

Não sentem o mesmo? 

 

 

 Tradução:

"A vida é uma montanha-russa. Podes gritar de medo sempre que passas numa lomba ou podes por os braços no ar e desfrutar"