Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mulher, Filha & Mãe.

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Mulher, Filha & Mãe.

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Crescer.

tumblr_l8hij6qFU71qdbbywo1_500.jpg

 

Crescer é difícil. Crescer é duro.

Pensar que podíamos realizar tudo e de repente, falta-nos o chão. 

Pensar que podíamos correr o mundo, e de repente, falta-nos emoção.

Pensar que podíamos conquistar o universo, e de repente, ocorre o inverso.

E não paramos de pensar. Não paramos para olhar à nossa volta e mesmo quando nada aparenta fazer sentido, nós não ouvimos. Aliás, não nos escutamos. Preferimos correr sem olhar, olhar sem notar, andar sem falar, falar sem pensar, pensar sem focar, tocar sem sentir. Podia continuar a atribuir uma panóplia de verbos à fraca disponibilidade do nosso ser em notar como se move vezes e vezes sem conta sem dar um paço em frente. Mas penso que a mensagem subjacente é nitidamente clara. E o pior? É quando o tempo passa e nós reparamos que nunca parámos para respirar, sentir e reflectir: Será que é por aqui que devo ir? Será que é por aqui que devo continuar? Ou então, que o fizemos tão raramente que percorremos caminhos transversais ou paralelos aqueles que gostaríamos.

Pensar que podíamos ter tempo para tudo.

Pensar que podíamos ter tudo a tempo.

Pensar que podíamos correr a favor do vento e voar. Voar bem alto. 

Mas crescer também é isto. Crescer também é lidar com o imprevisto e ultrapassar as barreiras do desconhecido para atingir linhas inimagináveis dentro e fora do nosso ser. E quando no meio do Crescer, paramos, notamos, falamos, pensamos, focamos e sentimos, a magia acontece, a certeza floresce, o chão reaparece e a emoção transparece. De repente ganhamos uma força interior para correr e a possibilidade de conquista volta a nascer.

Parabéns! Muitas vezes aqui, bem dentro de ti, nasceu um novo ser.