Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mulher, Filha e Mãe

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Desenvolvimento Sensorial do bebé - 1ª Conferência Academia ForBabies by Mustela

Há algumas semanas estive presente na 1ª Conferência da Academia ForBabies by Mustela, a ouvir a Dra. Clementina Almeida sobre o desenvolvimento sensorial do bebé. 

 

Já há algum tempo que conhecia o seu trabalho, e quando a Mustela me convidou, achei que poderia ser uma boa oportunidade de aprender mais sobre o tema, assim como, conversar um pouco com a Dra. Clementina sobre a sua visão/investigação no âmbito da importância da relação mãe-bebé e da sua relação com o desenvolvimento sensorial do bebé. E assim foi. 

 

O tempo voou, eu nem me apercebi, e o mais interessante é que de uma forma simples foi capaz de transmitir muito em tão pouco tempo. 

 

JCL_5955.jpg

 

JCL_5709.jpg

Várias foram as questões que abordou, mas considerando a minha área de interesse pessoal e profissional as que registei, e que considero muito interessantes a passar-vos também, foram as seguintes: 

 

  • A qualidade de interação que um bebé tem com quem o rodeia, mas especialmente, com quem o cuida, influencia um vastíssimo número de aspetos a nível comportamental, cognitivo, emocional e biológico, como já é sabido há muito. No entanto, a Dra. Clementina foi mais específica e falou sobre alguns estudos a que teve acesso e onde já foi possível estimar a influência da qualidade da interação de um bebé com quem o cuida, na probabilidade de aparecimento de doenças orgânicas no futuro (e quando falamos em futuro, de acordo com a Dra. Clementina, podemos pensar num futuro correspondente aos próximos 20 anos de vida...), tais como o Enfarte Agudo do Miocárdio, Acidentes Vasculares Cerebrais, etc.;

 

  • Outro aspeto que abordou prendeu-se com o facto de que quanto maior for a estimulação sensorial a que um bebé tiver acesso, mais fortes se tornarão as suas ligações sinápticas. A estimulação sensorial reporta à estimulação que é realizada através da exploração dos sentidos mediante atividades próprias para cada idade. Os sentidos são os meios através dos quais os seres vivos percebem e reconhecem outros organismos e as características do meio ambiente em que se encontram e os mais conhecidos são cinco: a visão, a audição, o tato, o paladar e o olfato. Contudo, existem outros sentidos que hoje em dia já sendo muito conhecidos por quem trabalha na área, ao serem estimulados, trazem maior segurança gravitacional e emocional, tónus muscular, movimento e equilíbrio, consciência do corpo, controlo motor, entre outros. A verdade é que, quanto maior for o acesso que o bebé tiver a este tipo de estimulação, mais fortes ficam as suas ligações cerebrais, e mais seguro se sentirá nas várias etapas do seu desenvolvimento, o que se refletirá a vários níveis (biológico, psicológico e social). No entanto, e como tudo na vida, estimulação sensorial, sim! Mas com conta, peso e medida, atendendo a cada bebé, e ao seu nível de desenvolvimento. 

 

  • Algo que também contribui para fortalecer as ligações cerebrais de um bebé, e sobre o qual cada vez mais é sabido que o melhor é dar o máximo possível, está relacionado com o afeto, o mimo e o colo que são absolutamente fundamentais para moldar o cérebro de um bebé. Aqui, a conta é sempre a aumentar, o peso é até rebentar a balança e a medida é aquela que nem a fita métrica tem capacidade para medir. É dar muito, bastante, e ponto final. Mimo a mais e educação a menos não são sinónimos, nem têm de estar articulados numa mesma frase em perfeita sintonia. Afeto, mimo e colo também são amor. E amor, é para dar a transbordar. Aqui, não restam dúvidas. 

 

 

JCL_5911.jpg

 

Para além da conferência, também fiquei a saber que a Dra. Clementina, para além do trabalho de investigação que tem feito neste âmbito, aplica muitos destes conceitos num SPA para bebés no Porto e que escreveu um livro sobre o sono dos bebés, ao qual terei acesso brevemente.

 

No final da Conferência foi muito difícil conversar com a Dra. Clementina, uma vez que, as solicitações foram muitas. Contudo, ficou o contacto para podermos debater mais pormenorizadamente algumas questões relativas às mães dos bebés e às respetivas alterações emocionais neste período.

Para além disso a equipa da Mustela que estava presente - Cristina Simões e Maria Mello - prometeu promover mais momentos deste género, o que se poderá constituir muito útil em termos de aprendizagem e esclarecimento de dúvidas sobre este tipo de temáticas, tal como foi este encontro. 

 

Grata pelo convite!

 

JCL_5651.jpg

Comentar:

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.