Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mulher, Filha e Mãe

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Empoderar Famílias Adotivas

O título desta publicação corresponde a um projeto de investigação sobre o bem-estar de crianças e adolescentes em famílias adotivas, com o objetivo principal de avaliar como a adoção, as experiências pré-adotivas das crianças, o comportamento e práticas parentais podem promover  o bem-estar da criança e do adolescente.

Cada criança, pai/mãe e família tem uma experiência e história única para contar sobre si mesmos e sobre como se tornaram uma família. De um modo geral, a investigação tem-se concentrado em visões tradicionais de família, nas quais os casais de sexo diferente com filhos são privilegiados. No entanto, há uma crescente diversidade de configurações familiares entre os quais as famílias por adoção são a base para este estudo. A adoção introduz um conjunto único de desafios, dificuldades, mas também oportunidades para as crianças e pais/mães escreverem a sua própria história familiar.

Na adoção, há também uma diversidade de configurações familiares que pode informar a Psicologia e os investigadores na área do desenvolvimento sobre o que é mais importante para o seu bem-estar.  Neste estudo, a equipa de investigação valoriza a sua experiência única, e ao preencher o questionário terá a oportunidade de escrever, por palavras suas, o que é mais importante para a SUA família.

A equipa está interessada ​​em conhecer a história de TODOS OS TIPOS de famílias adotivas:
- Adoção singular / Famílias monoparentais
- Casais que adotaram conjuntamente
- Pais/mães adotivos cujo estado relacional tenha mudado desde a adoção
- Pais/mães gays, lésbicas e bissexuais por adoção
- Pais/mães adotivos que possam fazer parte de uma configuração familiar diferente
- Nenhuma ou todas as configurações acima descritas, independentemente da configuração familiar ser ou não reconhecida pela agência de adoção.

 

E não custa nada. Basta preencherem o questionário ao qual terão acesso através deste link.

 

EFA (2).PNG

 

 

Mesmo se não for esta a vossa realidade, será que não conhecem alguém que a possa viver?

 

Há que reforçar que a equipa de investigação pretende que as respostas dadas no questionário serão tratadas com a máxima confidencialidade, ética e respeito pela privacidade e experiências de cada família. Os pais/mães que participarem neste estudo podem também permanecer completamente anónimos se assim o desejarem.

 

Portanto, vamos partilhar este questionário?

 

Para mais informações podem consultar o seguinte link:

Empoderar Famílias Adotivas

6 comentários

Comentar post