Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mulher, Filha & Mãe.

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Mulher, Filha & Mãe.

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

"Enerva-me ela não mamar bem ,eu estar exausta e acabo por chorar de nervos!"

Há poucos dias uma leitora do blogue contactou-me.

Foi mãe há pouco tempo, e os primeiros tempos não têm sido fáceis. A dúvida que me colocou prendeu-se com o facto de querer saber se na minha opinião poderia estar a passar por uma depressão pós-parto. 

Mais precisamente, após partilhar um pouco mais sobre a forma como vivenciou a gravidez, a questão que me colocou foi a seguinte:

 

"Passou uma semana e agora tudo me irrita e estou exausta o que faz com que as vezes responda mais ríspido mas ele não está a entender esta fase. Não sei se pode ser considerado depressão pós parto. Não a rejeito dou-lhe muitos mimos e passo muito tempo a olhar para ela com amor  mas enerva-me ela não mamar bem ,eu estar exausta e acabo por chorar de nervos e raiva de tudo. Queria uma opinião de alguém que não me conhece."

 

Após a troca de alguns emails, e da referida diminuição da sensação de ansiedade pela leitora relativamente ao momento presente e às dúvidas que me colocou, acabámos por concordar no beneficio que a publicação desta questão e respetiva resposta poderia trazer a outras mulheres e respetivas famílias que possam estar a passar pelo mesmo e que sigam o blogue. 

 

O que lhe respondi foi o seguinte:

 

"Tal como muitas vezes abordo no blogue, a depressão pós-parto é um diagnóstico médico. Daí que seja necessário consultá-lo para posteriormente à sua observação o mesmo poder confirmar o referido diagnóstico e prosseguir com o tratamento mais adequado que considerar. 
 
Contudo, pelo que me conta, parece-se que pouco menos de 7 dias passaram desde o nascimento da sua bebé. Para além da depressão pós-parto existe um estado que muito falo também no blogue, o baby blues, já tinha ouvido falar? 
 
Deixo-lhe dois links de seguida para se poder informar melhor sobre o baby blues. 
 
 
 
Nos primeiros dias após o parto, até por norma um máximo de 10/15 dias, muitas mulheres passam por uma fase de maior irritação, muitas vezes grande tristeza, ansiedade, insónia, alterações no apetite, sensação de grande cansaço, entre outras manifestações, sendo que tudo isto junto - e outras coisas mais - dão origem ao tal baby blues. Caso estas manifestações se mantenham por mais tempo, e/ou piorem, deve consultar um profissional de saúde.
 
(...)
 
Chegou a fazer algum curso de preparação para o parto, ou está em contacto com alguma enfermeira no centro de saúde a que pertence? Poderiam ser um bom recurso para a ajudarem nesta primeira fase relativamente à amamentação. Quer no esclarecimento de dúvidas, quer para conhecer mulheres que estão exatamente na mesma fase que a (leitora), por exemplo.
 
Estes primeiros tempos após o parto podem tornar-se mais densos a nível emocional uma vez que há muitas adaptações que, quer a (leitora), quer o pai, quer a vossa filha, estão a passar. A exaustão poderá ser uma constante neste período, mas diga-me, é-lhe de todo impossível aproveitar pequenos momentos para descansar? Quando o bebé descansa, por exemplo? Existe alguém que possa alternar consigo alguns momentos de vigia ao bebé para também você poder descansar? 
Percebi que nos momentos em que a sua filha descansa opta por ver televisão, sendo este um tempo que a (leitora) caracteriza como "seu/para si", mas também é importante relaxar, fechar os olhos, descansar, dormir. O ideal seria equilibrar os momentos  que caracteriza como "seus/para si" e o descanso que também necessita nesta fase. Pode refletir sobre a melhor forma de o fazer nos próximos dias/semanas. 
 
Eu mantenho-me em contacto, disponível para lhe responder a qualquer questão que tenha!
 
Não se culpe se necessitar de pedir ajuda. Para cuidar bem da sua bebé, também você precisa de estar bem!"
 
 
 
E por aí, permanece alguma dúvida que gostavam de ver esclarecida? Não hesitem em contactar-me!
 
blog@mulherfilhamae.pt

 

1 comentário

Comentar post