Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mulher, Filha & Mãe.

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Mulher, Filha & Mãe.

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Histórias que dão a cara por esta causa #21 - "Depressão Pós-Parto é sentirmo-nos más mães por estarmos a passar por tudo isto "

Hoje trago-vos um relato na primeira pessoa associado a uma vivência pessoal de depressão pós-parto sobre a qual esta leitora muito tem refletido, transmitindo-nos através de um contacto via email, uma uma mensagem muito objetiva, emocionante e realista, que me autorizou a publicar.
 
Partilhem também a vossa história, as vossas vivências, seja na primeira pessoa, ou não, sobre blues, depressão, ansiedade e/ou psicose pós-parto, por exemplo.
 
Vamos dar continuidade a esta partilha, demonstrando e relatando sem medos e/ou preconceitos, que maternidade nem sempre rima com felicidade.
 
blog@mulherfilhamae.pt
 

mom-1442789_960_720.jpg

 
"Boa tarde,
 
O que eu sei da depressão pós-parto é que é muito difícil quem nos rodeia entender aquilo que se passa na realidade. Pensam que a mãe está assim porque deixou de ter as atenções sobre ela porque passaram a ser sobre o bebé, pelo menos é o que mais tenho ouvido... Na realidade é um sofrimento em silêncio e uma dor inexplicável. É incontrolável o choro, a angustia e a culpabilização que se sente.
 
É não entender como se desejou este ser tanto e se sofreu tanto para o ter que agora que está aqui sentimos que é um fardo porque não nos conseguimos ligar a ele. É sentir-se culpada por ter estes sentimentos. É querer se refugiar num buraco e que nos deixem em paz e querer que este ser não seja tão dependente de nós para podermos ter um pouco de descanso. É não entender porque estamos a sofrer tanto quando devíamos era estar felizes - até porque é o que toda a gente nos diz e é o que esperam de nós. É sentir que somos 'escravas' deste ser e não conseguimos desfrutar dele como os outros porque o cansaço nos ultrapassa. É chorar de forma incontrolável sem saber ao certo o porquê. É olharmos-nos ao espelho e não nos reconhecermos pois tal foi a forma que o nosso corpo modificou.
E finalmente é sentirmo-nos más mães por estarmos a passar por tudo isto e a sentir o que estamos a sentir.
Este descontrolo hormonal leva-nos a um estado extremo numa altura em que mais precisávamos de estar bem.
É uma verdadeira depressão como qualquer outra e requer ajuda e apoio.
 
Admiro as mães que tiveram que passar por tudo isto sozinhas."