Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mulher, Filha & Mãe.

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Mulher, Filha & Mãe.

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Histórias que dão a cara por esta causa #22 "tive dificuldade em aceitar mas não podia adiar a procura de ajuda"

Não é fácil aceitar que se tem uma depressão pós-parto. Seja pelo estigma ainda muito associado à doença, seja (nestes casos) pela fase em que ocorre, seja pela consciência que se tem dos sintomas e/ou do impacto que têm sobre quem passa por uma, seja pelo que for, a verdade é que não é fácil.

 

Não acredito que seja fácil em circunstância alguma, mas tendo um bebé a cargo, e uma série de outras adaptações a ocorrer ao mesmo tempo, parece-me que facilmente este, poderá tornar-se num período caótico na vida de quem passa por uma depressão.

É preciso esclarecimento, mas também é preciso apoio. Muito apoio! E para esse apoio chegar é preciso pedir ajuda, e esta leitora partilhou connosco a sua história, que para mim, revela um bom exemplo de consciência sobre o problema em questão e de um pedido de ajuda (com ressonância), sendo este, o primeiro grande passo para trilhar um caminho de sucesso até à reabilitação.

 

Estas histórias tocam-me sempre muito, especialmente pela coragem que estas mulheres demonstram.

Muito obrigada pela vossa partilha!

Aproveitem também para escrever sobre a vossa experiência com a depressão, blues, ansiedade e/ou psicose pós-parto. Seja na primeira pessoa, ou não, escrevam-me! Fico a aguardar o vosso feedback.

 

blog@mulherfilhamae.pt 

 

postpartum-depression.jpg

 

Boa noite.

Gostaria de dar o meu testemunho.  Neste momento estou a passar por um depressão pós parto! Fiquei sem dormir duas semanas , sentia-me desorientada, sem perceber o porquê. Até que fui à médica de família e receitou-me um antidepressivo.  Nessa altura tive muita dificuldade em aceitar que estava doente.  Não havia motivos, pensava eu ! A verdade é que, analisando bem toda a minha vivência, fiz algumas mudanças na minha vida antes da minha segunda filha nascer , mudei de casa , de sitio...
A gravidez correu bem, o parto maravilhoso, os momentos após o parto tb, mas passado alguns meses entrei numa depressão. 
Inicialmente tive alguma dificuldade em aceitar mas percebi que não podia adiar a procura de ajuda . Comecei a medicação mas ainda hoje estou a ajustar a dose pois ainda não sou a pessoa que era.
Diariamente invadem-me pensamentos negativos que me deixam mais debilitada.  Luto e tento dar um significado aos mesmos mas é uma luta constante com a mente.  
Daqui a uns tempos espero conseguir olhar para trás e sentir que esta experiência de vida me tornou mais forte.
 
Obrigada.