Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mulher, Filha & Mãe.

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Mulher, Filha & Mãe.

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Obrigada por acreditarem, pelo carinho, elogios e reconhecimento!

Têm-me enviado os mais variados elogios e mensagens positivas nas últimas semanas em relação aos textos que tenho publicado, às partilhas, às respostas das mensagens que me enviam, aos emails, etc. 

 

Não há recompensa maior que o reconhecimento daqueles a quem nos dedicamos. E é a vocês que dedico este espaço, esta parte do meu caminho, e o tanto que ainda há para fazer e que pretendo fazer por aqui.

Muito deste caminho não o seria, sem a vossa presença e ajuda! 

Muitos foram-me mostrando de forma subtil que estavam aí. Mesmo sem vos conhecer pessoalmente, nutro um grande carinho e respeito por todos os que de forma direta, ou indireta, vão seguindo os passos que dou com todas as iniciativas, estudos, conquistas e reflexões dentro desta área. 

 

Acima de um trabalho, caminho por este percurso com grande dedicação e com um grande sentido de missão, que sei que me continuará a acompanhar. 

 

E por isso decidi publicar este texto para vos agradecer de coração, pois apesar de me encontrar numa fase de grande cansaço com todos os desafios que tenho acumulado, é tão bom receber mensagens como esta:

 

"Gosto muito dos textos que publica. Ajudam.me a entender o que passei quando fui mãe de primeira viagem. Hoje tenho uma bebé de 20 meses. Mas aínda me relembro dos primeiros 3 meses de vida difíceis sem ajudas que passei. Ajuda.me a perceber que passei por uma fase má mas ultrapassei.a sozinha. Obrigada"

 

E como esta:

 

"Muito, muito obrigada pela sua atenção e disponibilidade.. obrigada mesmo pelo seu trabalho 🙂
Beijinho"

 

E como esta:

 

"Fui muito importante para mim conhecer-te. Foi a primeira vez que falei com alguém que passou por um pós-parto turbulento, tal como eu. Desde aí, tenho pensado quase diariamente em ti, na tua experiência, na minha, em todas as outras mulheres/casais/bebés que possam ter passado ou que estejam a passar por momentos difíceis.
 
Uma experiência desta pode marcar-nos duramente para a vida se nada for feito, no sentido de assumir, procurar e encontrar as ajudas certas. São mulheres, pais, filhos que ficam com marcas. 
 
Pelo contrário, quando as ajudas certas chegam aquilo que podem fazer por todos os envolvidos é profundamente incrível. Para mim foi a diferença entre uma relação potencialmente turbulenta ou uma relação rica em significado e afetos, com a minha filha."
 
 
E como esta:
 
 
Continuação de um bom trabalho, que é fantástico. Um bem haja.
 
 
E como esta:
 
 
Foi um prazer enorme falar consigo e irei continuar a ser seguir o blogue!
 
 
E como esta:
 
Somos admiradores confessos da mensagem que a Ana tenta transmitir com o Projeto Mulher, Filha & Mãe.
 
 
 
E podia continuar, mas eu acho que já perceberam a mensagem! 
 

111111111.JPG

 

 
Sei que é preciso ter coragem para iniciar uma conversa com quem está de um outro lado de um ecrã, que não conhecemos, e que nos traz temas tão delicados como os que vou desenvolvendo por aqui. Contudo, várias foram as pessoas que já deram esse passo e que com frequência referiram sentir-se mais aliviadas e menos ansiosas após a escrita, e as mensagens que vamos trocando, por isso quem estiver por aí na dúvida, não hesite! 
 
 
Enviem-me email e vamos conversar! De acordo? 
 
blog@mulherfilhamae.pt

1 comentário

Comentar post