Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mulher, Filha e Mãe

Sensibilizar (para) e apoiar (na) ansiedade e depressão na gravidez e no pós-parto

Sobre o combate à depressão pós-parto.

O Livro Verde é um documento que surge com o objetivo de lançar o debate com as instituições europeias, os governos, os profissionais de saúde, outros interessados dos demais setores, a sociedade civil, incluindo as associações de doentes e a comunidade cientifica, sobre a importância da saúde mental para a UE, a necessidade de uma estratégia a nível comunitário e as suas eventuais prioridades.

 

Numa das suas propostas de ação, referencia a promoção da saúde e a prevenção da doença mental junto da população. Quando nos remetemos para a saúde mental na infância e na adolescência o mesmo refere que:

 

"Uma vez que os primeiros anos de vida são determinantes para a saúde mental, promover a saúde mental junto das crianças e dos adolescentes é investir no futuro. Fomentar as competências parentais contribui para um melhor desenvolvimento infantil. Uma abordagem escolar holística contribui para aumentar as competências sociais, melhorar a resiliência e reduzir o assédio, a ansiedade e os sintomas depressivos.

 

Algumas das ações com êxito identificadas no âmbito de projetos comunitários:

- Bebés e crianças: combater a depressão pós-parto das mães; melhorar as competências parentais; visitas domiciliárias de enfermeiras para prestar apoio a pais futuros e novos pais; intervenção de enfermeiras nas escolas. (...)"

 

 

 

Como vêem, o combate à Depressão pós-parto é identificado como sendo uma das prioridades identificadas no âmbito da promoção da saúde mental da população.

 

Formação dos profissionais na área, formação para os pais e a criação de redes de suporte para estas famílias tornam-se medidas fundamentais para que cada vez menos mulheres desenvolvam este tipo de afeção, e que sejam suportadas, caso sejam alvos deste tipo de doença. Para além disso, atuar na mulher e na família que sofre de uma destas perturbações inerentes à saúde mental perinatal é atuar na promoção da saúde e prevenção da doença mental do próprio bebé/criança que espelha parte do futuro da nossa nação. 

 

Atuar perante os problemas de saúde mental é fundamental. Atuar perante os problemas de saúde mental perinatais, é absolutamente necessário para o desenvolvimento de famílias e crianças funcionais e saudáveis mentalmente. 

 

Há por aí alguém também disposto a apostar nisto?