Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mulher, Filha e Mãe

Porque a saúde mental na gravidez e no pós-parto importa!

Mulher, Filha e Mãe

Porque a saúde mental na gravidez e no pós-parto importa!

Consulta de acompanhamento emocional perinatal: no que consiste?

06.05.17 publicado por Mulher, Filha e Mãe

"O Cuidar Baseado nas Forças é uma abordagem que considera a totalidade da pessoa, centra-se naquilo que está a trabalhar e a funcionar bem, no que a pessoa faz de melhor, e nos recursos de que os indivíduos dispõem e que os ajuda a lidar mais eficazmente com a sua vida, saúde e desafios dos cuidados de saúde. Relaciona-se com o modo como os enfermeiros podem apoiar o que está a funcionar bem, a fim de ajudar os doentes, clientes, famílias e comunidades a adaptarem-se, desenvolverem-se, crescerem, prosperarem e transformarem-se." (1)

 

A consulta de acompanhamento emocional perinatal, especialmente dirigida a mulheres/famílias que se encontram no período da gravidez e do pós-parto (até um ano após o parto), integra o programa AMA - Programa de apoio a mulheres com alterações psicopatológicas no pós-parto - que desenvolvi na minha tese de mestrado, aquando da frequência da Especialidade e Mestrado em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiatria. 

 

Foi uma consulta que começou a ser pensada durante o mestrado, e que desde então, tem vindo a ser constantemente aplicada, refletida e atualizada, atendendo aos estudos/guidelines/práticas que vão sendo publicados e aos quais vou tendo acesso na área da saúde mental perinatal. 

 

De uma forma geral, a consulta de enfermagem de acompanhamento emocional perinatal, objetiva

  • Promover o bem-estar emocional da mulher/família, no período perinatal​;
  • Empoderar as mulheres/famílias, durante o período perinatal​;​
  • ​Facilitar o encontro de forças* que permitirão o desenvolvimento do papel materno e a transição para a maternidade.

 

*forças são as qualidades especiais e únicas da pessoa ou família, que determinam o que a pessoa é capaz de fazer e em quem se poderá tornar. São as capacidades que permitem que uma pessoa lide com os desafios da vida, com as incertezas, e contribuem para a capacidade de a pessoa se recuperar, retomar e refazer-se de todos os tipos de agressões e superar as adversidades, assim como, para atingir os seus objetivos, aproveitar ao máximo a vida e facilitar a recuperação e a cura. (1)

foto para site.JPG

Foto: Espaço onde costumam decorrer as sessões de acompanhamento emocional perinatal

 

Quando há um desequilíbrio emocional na gravidez e/ou no pós-parto, a mulher, o companheiro (a), ou ambos, podem passar por algumas alterações emocionais, podendo sentir, maior preocupação, ansiedade, irritabilidade, tristeza, insónia, falta/excesso de apetite, perda de energia física e emocional, perda de confiança e autoestima, diminuição da capacidade de concentração, vontade de se isolar(em), estar obsessivamente focada(o) no bebé e na sua segurança e higiene (por exemplo), ou o oposto, sentir(em) medo de estar(em) sozinha(os) com o bebé e/ou de cuidar(em) dele, sentir culpa por considerar que não é boa mãe/pai o suficiente, entre outros.

 

Passar por todas as emoções acima identificadas poderá ser naturalmente decorrente do momento presente afeto à transição para a maternidade/paternidade, contudo, quando se torna numa constante, dia após dia, e quando traz dor emocional associada, poderá ser difícil lidar com esta realidade, acentuando as dúvidas, medos e inseguranças subjacentes.

 

A consulta de acompanhamento emocional perinatal ajuda as mulheres/famílias a identificarem e lidarem com estas emoções, dúvidas, inseguranças, assim como, permite-lhes a criação de um espaço propício para a partilha com um profissional qualificado e experiente na área, que possa dar significado às vivências partilhadas, e traçar um plano conjunto de trabalho a curto, médio e/ou longo prazo, consoante as necessidades de cada um, com vista à promoção da saúde mental perinatal, à prevenção do desenvolvimento de doença mental perinatal, ao empoderamento, e à facilitação da transição para a maternidade por parte da mulher/família. 

 

Marcações/informações: 

centro@mulherfilhaemae.pt

(+351) 936 180 928

 

(1) Gottlieb, L. N. (2016). O Cuidar em Enfermagem Baseado nas Forças: Saúde e Cura para a pessoa e família. Loures: Lusodidacta.