Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mulher, Filha e Mãe

Porque a saúde mental na gravidez e no pós-parto importa!

Mulher, Filha e Mãe

Porque a saúde mental na gravidez e no pós-parto importa!

Qua | 04.05.22

Porque a saúde mental materna, importa!

Ana Vale

Não sendo oficial, mas sendo um dia reconhecido por vários países no mundo inteiro como podem ver aqui, partilho, sublinho e evidencio: hoje, é dia mundial da saúde mental materna!

 

O dia mundial da saúde mental materna chama a atenção para diversas preocupações. As mudanças de vida em torno da gravidez tornam as mulheres mais vulneráveis ao desenvolvimento de doenças mentais. O ciclo negativo de doença mental afeta a capacidade da mulher funcionar adequadamente e prosperar, o que pode afetar também o seu feto/filho com consequências físicas, cognitivas e emocionais duradouras. 

 

Os cuidados de saúde mental fornecem o apoio necessário para capacitar as mulheres a identificar recursos e capacidades pessoais. Isso pode aumentar a sua resiliência a circunstâncias difíceis da vida e apoiá-las a nutrir os seus filhos da maneira mais adequada. Cuidar das mães é uma intervenção positiva para o desenvolvimento social a longo prazo!

 

dia mundial da saúde mental materna 2022.png

Atualmente, sabemos que: 

  • 1 em cada 5 mulheres experiencia algum tipo de perturbação do humor e/ou da ansiedade no período perinatal. Estamos a falar de depressão e ansiedade perinatal, perturbação obsessivo-compulsiva perinatal, perturbação bipolar do humor e psicose pós-parto; 

 

  • 7 em cada 10 mulheres esconde ou desvaloriza os sintomas que refletem as alterações acima mencionadas. Sem valorizarem e perceberem o que se passa, o suporte e o tratamento não acontecerá tão depressa, e tal poderá ter um impacto devastador nas mesmas e respetivas famílias; 

 

  • 1 em cada 10 homens desenvolve depressão perinatal. As perturbações do humor/ansiedade afetam toda a família, e com o suporte adequado, a abordagem familiar pode permitir que ultrapassem este momento da forma mais tranquila possível. 

 

  • Estima-se que 20-25% das gravidezes terminem em aborto espontâneo ou nado morto. Adicionalmente à dor sentida, estas mulheres têm uma forte probabilidade de desenvolverem depressão perinatal. Também o facto das mulheres terem partos prematuros e bebés que passam longos períodos de tempo em cuidados intensivos neonatais, também pode afetar a saúde mental materna. 

 

Estes, são apenas alguns dos dados que sublinham a importância de se apostar na área da saúde mental perinatal, evidenciando o quão a saúde mental materna e paterna, importa!

 

Através da consulta de enfermagem em saúde mental perinatal, posso ajudar! 

 

Marcações/informações: 

mulherfilhamae@gmail.com

(+351) 92 682 82 02

@enfermeiravaiacasa

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.